Sexta, 19 de Julho de 2024
  • Sexta, 19 de Julho de 2024

‘País patina e não consegue sair do atoleiro’, diz deputado do União Brasil sobre cem dias do governo Lula

Danilo Forte considera que o presidente foca em disputas internas do PT e se esquece de governar

JOVEM PAN / JOVEM PAN


Deputado Danilo Forte em entrevista ao Jornal da Manhã desta segunda-feira / Reprodução/Jovem Pan News/Jornal da Manhã

O deputado federal Danilo Forte (União Brasil-CE) concedeu uma entrevista ao vivo para o Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, nesta segunda-feira, 10, para falar sobre os primeiros cem dias do governo Lula 3. Ele criticou o trabalho feito até o momento e disse que o país patina sem conseguir sair do atoleiro. Para Forte, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ainda está focado em questões internas do partido e precisa voltar-se para governar. “Há a falta de um comando mais célere na pauta do poder Legislativo. Deu espaço para essa disputa de poder com relação aos regimentos legislativos das medidas provisórias, mas não interveio com a devida prudência para harmonizar e fazer com que as votações possam fluir. Estamos patinando muito e não estamos conseguindo sair do ‘atoleiro’. A preocupação e a esperança viraram um tédio na sociedade”, declarou o deputado federal.

“O governo precisa começar a governar, precisa sair das guerras internas, da disputa interna do PT, e colocar uma pauta para a sociedade. Ele foi eleito para isso. E o Lula sabe fazer isso. Ele já fez no passado. A gente sabe. Agora, ele precisa juntar a turma e dizer ‘a nossa responsabilidade é governar, e não ficar brigando internamente para querer saber quem vai ser o meu sucessor, porque, se fracassar, fracassam todos'”, completou Forte em tom de crítica.

O deputado ainda falou sobre a falta da pauta posta de forma clara para que o Congresso Nacional possa produzir em cima dela. “Nós estamos vendo empresas fechando, desemprego crescendo, a volta da carestia batendo a nossa porta e uma aflição muito grande no conjunto das famílias. Aquilo em que o governo gerava expectativa muito positiva, com relação ao novo arcabouço fiscal e à reforma tributária, que seriam os pontapés iniciais do novo governo, até agora só há intenções. Eu acho que é preocupante. O governo contribuiu, inclusive, para a reoneração dos preços, com a volta dos impostos sobre os combustíveis e sobre a energia, estimulou os governos estaduais a aumentarem as alíquotas do ICMS, se contrapondo, inclusive, à lei de minha autoria que reduziu, no ano passado, os impostos dos combustíveis, a energia e a telefonia celular”, finalizou. Leia também Decisão do governo de excluir estatais do processo de privatização gera debate entre economistas Lula completa cem dias de governo com entraves na economia, atrito com o BC e políticas públicas recicladas



Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.
Para mais informações, consulte nossa política de cookies.