Quarta, 17 de Julho de 2024
  • Quarta, 17 de Julho de 2024

CBV adia confronto entre Cruzeiro e São José pela Superliga

Decisão foi tomada após STJD do vôlei liberar Wallace para o jogo

AGêNCIA BRASIL


© Agência i7/Sada Cruzeiro/Direitos Reservados

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) anunciou nesta quarta-feira (13) o adiamento da primeira partida entre Cruzeiro e São José pelas semifinais da Superliga masculina, após o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do vôlei conceder ao jogador Wallace Souza uma liminar para atuar no jogo.

Esta liminar reverteu a suspensão de 90 dias imposta no dia 3 de abril pelo Conselho de Ética do Comitê Olímpico do Brasil (COB). Esta decisão, tomada de forma unânime pela entidade, tirava o oposto da reta final da Superliga masculina.

Segundo a nota emitida pela CBV nesta quarta, a entidade máxima do vôlei brasileiro “se viu diante de duas decisões conflitantes, tomadas por dois órgãos independentes [Conselho de Ética do Comitê Olímpico do Brasil e STJD], sobre o caso envolvendo o atleta Wallace, do Sada Cruzeiro. Assim, decidiu submeter a questão ao Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem [CBMA], instância arbitral com competência para tal, conforme previsto nos estatutos do COB e da CBV'.

Assim, a partida inicial entre Cruzeiro e São José pela semifinal da Superliga foi reprogramada para a próxima quarta-feira (19). Já o primeiro confronto da outra semifinal, entre Minas e Suzano Vôlei, está mantido para o próximo sábado (15).

No dia 30 de janeiro, Wallace publicou em sua conta no Instagram uma imagem na qual aparece armado com uma pistola, junto à enquete “Daria um tiro na cara do [presidente] Lula com essa 12?'. Três dias após a postagem, o jogador foi suspenso de forma cautelar pelo Conselho do COB, após representação da Advocacia-Geral da União (AGU). No início de março, a suspensão foi prorrogada por mais 30 dias.

Wallace também foi denunciado pela AGU e pela CBV junto ao STJD do vôlei. No entanto, no dia 27 de fevereiro o STJD arquivou a notícia de infração contra o jogador. Na decisão, o procurador-geral Fábio Lira afirmou que o caso não tinha ligação com o esporte, a não ser pelo fato de Wallace ser um atleta.

Após 11 anos dedicados à seleção, Wallace chegou a anunciar a aposentadoria da equipe depois da Olimpíada de Tóquio, quando o país ficou fora do pódio. No entanto, o jogador voltou atrás em sua decisão, após receber um convite da CBV para disputar o Mundial de 2022. O oposto foi destaque na campanha do time comandado pelo técnico Renan Dal Zotto, que terminou a competição com a medalha de bronze.

Edição: Fábio Lisboa



Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.
Para mais informações, consulte nossa política de cookies.