Sexta, 12 de Abril de 2024
  • Sexta, 12 de Abril de 2024

Ações buscam trazer um 'natal digno' para famílias em extrema vulnerabilidade

Central Única das Favelas (CUFA); Causadores da Alegria, Projeto Yalodê, Instituto Homem Pantaneiro e Energisa mudam a ceia natalina de sul-mato-grossenses

CORREIO DO ESTADO / LEO RIBEIRO


Ações acontecem em prol de famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social - Gerson Oliveira/ Correio do Estado

Em Mato Grosso do Sul, diversas ações buscam trazer uma realidade diferente para a mesa de famílias neste natal, principalmente que vivem em vulnerabilidade social, entre elas a da Central Única das Favelas (CUFA); dos Causadores da Alegria e Projeto Yalodê. 

Coordenadora da CUFA em Campo Grande, Letícia Polidório destaca o trabalho em prol delas, inclusive com o projeto 'Mães da Favela', que possui cerca de 36 mil mulheres cadastradas. 

'A CUFA, este ano, pretende atender 3 mil famílias dessas todas. Esperamos a colaboração das pessoas, para montarmos os kits de alimentação, junto com a proteína, para poder estar atendendo essas três mil mães', comenta ela. 

Entre os principais pedidos da CUFA está a doação de frangos, proteínoa que raramente aparece no prato das pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade. 

Uma publicação compartilhada por Cufa Campo Grande - MS (@cufacampograndems)

'Muito difícil pensar que eu lido, o ano inteiro, com famílias em extrema vulnerabilidade social, e que essas famílias e crianças vão chegar no final do ano, não vão conseguir ter uma ceia digna. E digna que eu falo é com o simples mesmo. Porque muitas dessas famílias não vão ter essa ceia', comenta. 

Para ela, 2022 foi um ano difícil, inclusive no balanço de doações recebidas pela central.

'A gente tem uma pós pandemia aí que é devastadora. Pessoas doentes ainda com o psicológico abalado por percas. Tenho uma proximidade muito grande com todas essas mulheres, que chefiam suas casas. Eu me vejo muito nelas... então pra mim, enquanto coordenadora da Cufa, Campo Grande, é muito difícil saber que essas mulheres não vão ter uma ceia digna no natal', cita Letícia.

Também, a Central arrecada em parceria com a Organização Não Governamental (ONG), Comitiva Esperança, eles arrecadam demais alimentos, e brinquedos para distribuir às crianças. 

Alegria e espiritualidade

Neste domingo (18), as ONGs Causadores da Alegria e Projeto Yalodê trazem duas ações, distintas, ambas com a ideia de levar alegria para os pequenos nessa época natalina. 

Para isso, o Projeto Yalodê busca doações para fazer a alegria da criançada, que podem ser mandad.

'Agora é hora de levar doce, brinquedo, alegria para as crianças. O projeto sempre teve a tradição de, em setembro, levar uma ação social rica em gincana, com doces, guloseimas, comidas gostosas', explica o idealizador do projeto, Bàbá Augusto de Lógunède. 

Além do pix - que pode ser enviado para o email '[email protected]' -, Pai Augusto destaca as outras formas que a sociedade pode contribuir. 

'Você pode ser voluntário, pode ajudar de forma financeira, pode ajudar também a arrecadar doações com outras pessoas. Então esse é o projeto de Axé'. 

Fernando Eufigênio, diretor-presidente do Causadores de Alegria, revela que a ação será em apoio à 60 famílias que moram na região do Indubrasil, contemplando aproximadamente 300 pessoas. 

Ainda, para a ação deste domingo, distante dois dias, ele lista que faltam os seguintes itens: 

Também, são aceitas doações de roupas, agasalhos e cobertores; alimentos em geral; medicamentos e até mesmo materiais de construção. As doações podem ser enviadas ao Pix: 39.285.582/0001-35

'Natal, é tempo de alegria, esperança, tempo de amor, caridade, fraternidade e compaixão. A gente faz toda uma preparação para que a gente possa levar isso, finalizar o ano, com muito amor e carinho'

Professor de química, ele lembra ainda que, nesta época é necessária uma atenção, principalmente para pessoas que vivem uma situação de vulnerabilidade. 

'Precisam desse olhar especial. Escolhemos uma comunidade pequena para atender não só com alimento, mas com a mistura, a ceia de natal, com uma atenção especial para aquelas famílias que são esquecidas', frisa. 

Assine o Correio do Estado



Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.
Para mais informações, consulte nossa política de cookies.