Quarta, 17 de Julho de 2024
  • Quarta, 17 de Julho de 2024

Mulher trans morre horas após ser esfaqueada e companheiro é suspeito

Vítima foi ferida no pulmão e estava sem documento; ela foi reconhecida no hospital pelo pai

ANA PAULA CHUVA / CAMPO GRANDE NEWS


Fachada da 6ª Delegacia de Polícia Civil, onde caso foi registrado. (Foto: Arquivo | Campo Grande News)

Uma mulher trans de 22 anos, que não teve o nome social divulgado, morreu horas após ser esfaqueada na quinta-feira (15). O crime aconteceu na Avenida Marechal Deodoro, no Jardim Leblon e o suspeito principal é o companheiro da vítima. Ele está sendo procurado pela polícia.

De acordo com o boletim de ocorrência, equipe da PM (Polícia Militar) foi acionada por testemunhas e quando chegaram ao local, a vítima estava sendo socorrida por equipe do Corpo de Bombeiros. Ela estava inconsciente e os militares tentavam fazer a reanimação.

No local, testemunhas disseram que o autor da facada seria um companheiro de da mulher, mas não souberam relatar a dinâmica do crime. Porém contaram que o suspeito usava uma camiseta branco e uma bermuda marrom e que após ferir a vítima, jogou a arma usada no canteiro em frente ao posto de gasolina, mas o objeto não foi encontrado.

A vítima estava com uma perfuração no pulmão e foi socorrida em estado grave para a Santa Casa de Campo Grande, por volta das 7h30 da quinta. Ela não chegou a ser identificada no local, pois estava sem documento. Por volta das 17h, um homem procurou a 6ª Delegacia de Polícia Civil e se apresentou como pai dela

Aos policiais ele relatou que ficou sabendo por uma pessoa conhecida da vítima que havia sido esfaqueada. Ele então foi ao hospital, reconheceu o filho que não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 9h. O suspeito pelo crime ainda está sendo procurado. O caso foi registrado como homicídio qualificado pela traição.



Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.
Para mais informações, consulte nossa política de cookies.