Sexta, 12 de Abril de 2024
  • Sexta, 12 de Abril de 2024

Textor depõe em inquérito policial que investiga manipulação de resultados

Dono da SAF vai à Cidade da Polícia no Rio de Janeiro

GLOBOESPORTE.COM / JéSSICA MALDONADO


Rizek explica acusações de Textor sobre manipulação de resultados

O episódio dos supostos casos de manipulação de resultados no futebol brasileiro, que John Textor afirma terem ocorrido, teve um novo capítulo nesta quarta-feira. O dono da SAF do Botafogo foi à Cidade da Polícia, no Rio de Janeiro, prestar depoimento.

+ Novo técnico do Botafogo, Artur Jorge chega ao Rio: "Foi fácil me convencer"

+ Textor x Palmeiras, STJD, arbitragem e São Paulo: a cronologia das suspeitas levantadas pelo dono do Botafogo

Acompanhado por três advogados, o empresário norte-americano compareceu ao local logo após desembarcar no Rio - veio da França com Artur Jorge, técnico contratado para assumir o clube. Ele chegou à Cidade da Polícia por volta das 16h.

A Polícia Civil, por meio da Delegacia do Consumidor, instaurou inquérito após uma manifestação do Ministério Público do Rio de Janeiro. A Notícia de Fato, que tramita no Grupo Temático Temporário (GTT Desporto/ MPRJ), gerou a abertura da investigação policial. Existe a expectativa de que o empresário apresenta as provas que afirma ter de corrupção no futebol brasileiro.

+ ✅Clique aqui para seguir o novo canal ge Botafogo no WhatsApp

Segundo o Ministério Público, o inquérito tramita em sigilo e, por isso, "não há informações que possam ser compartilhadas".

+ Leia mais notícias do Botafogo

O Ministério Público foi provocado pelo Juiz Marcello Rubioli, da 1ª Vara Criminal Especializada em Organizações Criminosas e Lavagem de Dinheiro do Rio de Janeiro, a se manifestar. O magistrado tomou a decisão após Textor dizer que tinha árbitros gravados reclamando de não terem recebido propinas combinadas.

Desde então, Textor nunca apresentou as provas que afirma ter. E, baseado em relatório de inteligência artificial, levantou suspeitas de manipulação em jogos do Palmeiras contra Fortaleza (2022) e São Paulo (2023). O empresário responde em processos no STJD. Tanto Palmeiras quanto São Paulo afirmaram que iriam processá-lo.

🎧 Ouça o podcast ge Botafogo 🎧

Assista: tudo sobre o Botafogo no ge, na Globo e no sportv



Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.
Para mais informações, consulte nossa política de cookies.