Terça, 21 de Maio de 2024
  • Terça, 21 de Maio de 2024

Troca de mensagens em celular de comerciante preso com arma revela suposto esquema de agiotagem

Comerciante foi preso no Jardim Centenário em operação contra tráfico de drogas, associação para o tráfico, organização criminosa e lavagem de dinheiro

MIDIAMAX/THATIANA MELO


(Divulgação Dracco)

Uma troca de mensagens no aparelho celular de um comerciante, de 60 anos, preso com armas durante a Operação Guatambu II, no Jardim Centenário, em Campo Grande, revela um suposto esquema de agiotagem. 

O comerciante foi preso na manhã desta quinta-feira (16) após um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça de Birigui (SP) que investiga tráfico de drogas, associação para o tráfico, organização criminosa e lavagem de dinheiro, no âmbito da operação. 

Inicialmente, ao ser questionado sobre ilícito na residência, o comerciante não informou sobre arma. Entretanto, os policiais realizaram buscas e encontraram uma pistola Taurus, de calibre 9 x 19 mm (milímetros), que estava na cama do quarto da neta dele.

Questionado, o comerciante alegou que a arma pertencia a um amigo, segundo boletim de ocorrência. Durante as buscas, os policiais viram uma troca de mensagens no celular do homem que indicam suspeita de crime de agiotagem, por isso, o aparelho foi apreendido.

O comerciante, preso por posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, foi encaminhado a sede do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado), que deflagra a operação. 

Operação Guatambu II

A operação, deflagrada pelo Dracco, da Polícia Civil, conta com apoio operacional do Deinter 10 (Departamento de Investigações sobre Crime Organizado), sob a coordenação da Deic (Divisão Especializada de Investigações Criminais) de Araçatuba, em São Paulo. 

Durante a operação nesta quinta-feira (16), uma oficina mecânica, em Campo Grande, onde a quadrilha fabricava fundo falso para o transporte de drogas entre os estados, foi descoberta. Também foi apreendida uma tonelada de cocaína, além de diversos automóveis e documentos.

Foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, Anastácio, Aquidauana, Birigui, em São Paulo e Fortaleza, no Ceará, com o objetivo de desarticular o grupo de fornecedores de drogas, vindas do Paraguai e da Bolívia.

Equipes do DPE (Departamento de Polícia Especializada), através do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestro), da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcótrafico) e da Defurv (Delegacia Especializada de Repressão aos crimes de Furtos e Roubos de Veículos) também deram suporte a operação.



Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.
Para mais informações, consulte nossa política de cookies.