Terça, 25 de Junho de 2024
  • Terça, 25 de Junho de 2024

Bernardinho entrega parte do time de Paris antes do início da Liga das Nações

Treinador da seleção brasileira opta em não usar a VNL para rodízio, mas fará testes do esquema olímpico; Brasil estreia nesta terça-feira

GLOBOESPORTE.COM / FLáVIA RIBEIRO, LíVIA LARANJEIRA, LUCAS ESPOGEIRO, MARCELO BARONE E PRISCILLA BASILIO


Guilherme Costa traz as novidades do esporte olímpico no Ta On

Diferente de outros anos olímpicos em que esteve à frente da seleção, o técnico Bernardinho decidiu revelar nesta segunda-feira, após os treinos da equipe masculina de vôlei, no Maracanãzinho, parte do grupo que irá representar o Brasil nos Jogos de Paris. Depois de declarar que a Liga das Nações (VNL), seria um laboratório para as Olimpíadas, o treinador deixou claro que o líbero Thales e os opostos Alan e Darlan já são nomes definidos para a competição da França.

+ Confira a tabela da Liga das Nações 2024 de vôlei masculino + ge lança novo tempo real de vôlei, mais completo e dinâmico + Siga o canal de esportes olímpicos do ge no WhatsApp!

A seleção entra em quadra nesta terça-feira, às 21h (horário de Brasília), para enfrentar Cuba em sua estreia pela VNL. A escalação para o primeiro confronto foi anunciada na noite desta segunda-feira, e causou surpresa. Henrique Honorato apareceu listado como líbero, em vez de sua posição usual, como ponteiro. Perguntado sobre a decisão, Bernardinho explicou tratar-se de uma estratégia para ter um jogador que pudesse treinar nas duas funções, já que não é comum levar mais de um líbero para os Jogos Olímpicos.

- O líbero para Paris é o Thales. Assim como os dois opostos (Alan e Darlan). O (Felipe) Roque é o terceiro, que está treinando em Saquarema, assim como o Maique está. Em uma necessidade, eles são chamados. Eles não foram cortados, eles fazem parte - explicou.

+ Zé Roberto Guimarães e Ana Paula Henkel são indicados ao Hall da Fama do Vôlei

Bernardinho elogiou a atuação de Maique como líbero, e revelou que vê o atleta como uma forte possibilidade para Los Angeles 2028. No entanto, explicou que preferiu escalar Honorato para que ele consiga desempenhar essa função no caso de necessidade durante as Olimpíadas.

- Olimpíadas se jogam com 12. Você não leva dois líberos, é um líbero só. O Maique é um rapaz espetacular, mas se eu não usar a VNL, que é a única competição que a gente tem, como um laboratório para os Jogos, não tem como. Se houver necessidade, um dos meus ponteiros tem que se transformar em líbero. A Liga é jogada com 14, por isso coloquei Honorato. Como é que, em caso de necessidade, entre os 12 atletas, colocaremos alguém como líbero? Temos que provar isso, e a única forma é aqui - explicou.

O técnico brasileiro deu a entender que a equipe escolhida para Paris já estaria entre o 14 convocados para o primeiro jogo da Liga das Nações. Como Bruninho e Cachopa são os únicos levantadores da relação, resta a dúvida apenas para as posições de central e de ponteiro. Jogadores que permaneceram em Saquarema, no CDV, como Maique e Felipe Roque, somente entrariam na lista em caso de lesão ou questões mais sérias.

Confira as escalações de ponteiros e centrais para Brasil x Cuba:

Ponteiros:

AdrianoArthur Bento Leal Lucarelli Mauricio Borges

Centrais:

Flavio Isac Lucão

Veja os inscritos para Liga das Nações que podem entrar nos próximos jogos:

Lukas Bergmann (Ponteiro)Otávio (Central)Judson (Central)

Honorato como líbero

Vindo de uma lesão ocorrida durante a Superliga, enquanto representava o Joinville, o ponteiro escalado como líbero para a partida contra Cuba, Henrique Honorato, comentou a mudança estratégica do técnico Bernardinho.

- É um pouco diferente de você jogar na (posição) seis ali, para um ponteiro que joga ao lado, muda um pouco a questão de leitura de jogo, de posicionamento. Então, estou me adaptando ainda, acredito que vai demorar um tempinho, mas é vôlei, né? Vai muito da leitura da partida, do seu feeling. Eu acredito que eu tenho isso bem dentro de mim - comentou.

A lesão de Honorato, uma tendinopatia patelar e quadricipital, ainda causa dores no jogador, que precisou aplicar gelo sobre o joelho após o treino no Maracanãzinho. Sem a necessidade de saltar como um ponteiro, a escalação como líbero caiu bem para o atleta, neste momento.

- Comecei a saltar esta semana. Então, pra mim, é muito especial poder estar dentro de quadra, mesmo que em uma função que eu não seja acostumado a jogar. E é um desafio também novo, né? Estou dando o meu melhor, meu comprometimento não mudou. Lá em Saquarema eu estava fazendo fundo de quadra porque eu não podia saltar, agora é que estou mais na função, no coletivo - contou.

Mesmo relacionado como líbero para a Liga das Nações, Honorato continua concorrendo à vaga de ponteiro para Paris, sua posição original na equipe.



Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.
Para mais informações, consulte nossa política de cookies.