Sexta, 12 de Abril de 2024
  • Sexta, 12 de Abril de 2024

Ministério homenageia personalidades por serviços pela proteção dos direitos humanos

Entre os homenageados está o coordenador nacional da Força Jovem Universal (FJU), o Bispo Celso Bezerra Júnior

R7 / BRASíLIA | DO R7, EM BRASíLIA


Bispo Celso Bezerra Júnior recebeu a homenagem nesta segunda-feira - Giovana Cardoso/ R7

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos concedeu, nesta segunda-feira (19), a Ordem do Mérito Princesa Isabel a personalidades e instituições que prestaram notáveis serviços na proteção e promoção dos direitos humanos. Entre os homenageados está o coordenador nacional da Força Jovem Universal (FJU), o Bispo Celso Bezerra Júnior.

“Essa homenagem representa muito parabenizando o trabalho que a Força Jovem tem feito. Não só no Brasil, como no mundo inteiro, ajudando jovens que sofrem com depressão, automutilação, que tenham perdido a vontade de viver', disse o Bispo.

O coordenador ainda falou sobre a importância do reconhecimento de ações como a do projeto. “É bom ser reconhecido, não a nossa pessoa, mas o trabalho que é feito pela Força Jovem', disse Celso.

Durante a cerimônia outros cem homenageados foram destacados, entre eles a senadora eleita Damares Alves (Republicanos-DF), o ministro da Justiça, Anderson Torres, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga e o ministro da Cidadania, Ronaldo Bento.

A condecoração foi nomeada em referência à Princesa Isabel, filha do imperador do Brasil D. Pedro II, responsável pela assinatura da Lei Áurea, que proibia a escravidão.

O grupo jovem FJU foi criado em 1977 com o objetivo de reintegrar os jovens e adolescentes na sociedade. A iniciativa conta principalmente com projetos direcionados a conscientização e prevenção às drogas e suicídio por meio de prática de atividades esportivas, cursos e atividades culturais.

De acordo com a organização do projeto, a partir das atividades culturais, desportivas, cursos de formação e debates, os jovens aprendem a dar um rumo diferente à vida, longe dos vícios, dos atos criminosos ou do afastamento social.

Presente em mais de 100 países, a Igreja Universal, responsável pelo projeto, atende a cerca de 4,5 milhões de pessoas em programas sociais, além de assistir a outras 1,1 milhão no exterior.



Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.
Para mais informações, consulte nossa política de cookies.